Viajar com crianças é dos melhores e mais gratificantes hábitos que podemos criar para a nossa família. Viajar em família cria memórias que ficam para a vida, aperta os laços de afecto e cumplicidade entre filhos e pais e desenvolve capacidades como a resiliência, a curiosidade e a confiança.

Não é de tirar férias que se trata. Ficar na praia o dia todo é um excelente programa para fazer com os mais pequenos. Mas viajar é diferente. Exige planeamento. Todos os dias são diferentes, com visitas, caminhadas e experiências gastronómicas novas. Tudo pensado à medida dos mais pequenos para que o passeio seja bom para todos.

Perto ou longe, não interessa. Não importa se vamos de carro, de comboio ou de avião. O importante é sair de casa, conhecer lugares, pessoas e tradições diferentes e experimentar novas coisas. Fugir dos dias rotineiros e agitados e mergulhar em dias de descobertas. Juntos, tranquilos e felizes.

As razões para viajar com crianças

  • As crianças adoram viver novas experiências com os pais:

Para as crianças pequenas a melhor companhia que podem ter é a dos pais. Mas os dias agitados que vivemos torna o convívio breve. Quando se viaja é diferente. Saímos todos da rotina. Temos mais tempo para conversar, prestamos mais atenção uns aos outros. Estamos mais tempo juntos. Vivemos exclusivamente para os nossos filhos e isso é o melhor que lhes podemos oferecer. Passear e descobrir juntos novos lugares proporciona experiências inesquecíveis enquanto família e memórias de infância que ficam para sempre.

  • Viajar desenvolve as capacidades de pensamento e concentração:

Fá-los sentir que são parte deste mundo enorme onde vivemos. Tornam-se curiosos, observadores e exploradores. Estimula a sua curiosidade, a concentração e o raciocínio. Perguntam mais e tiram as suas conclusões. Cabe a nós, pais, deixá-los pensar, interpretar e concluir pela sua cabeça. E termos a flexibilidade para aprender com eles. Aprende-se tanto com uma criança!

  • Viajar torna as crianças mais sociáveis e confiantes:

Ajuda-os a exprimirem-se mais. Desde muito cedo terão conviver com pessoas de todas as idades e ouvir idiomas diferentes. Têm de ajudar a tomar decisões inerentes ao passeio e a dar opinião sobre o que gostam e não gostam. Sim, porque não se é obrigado a gostar de tudo e nem todos da mesma coisa. Um passeio vai ter momentos interessantes e aborrecidos para cada um dos viajantes. Saber o que preferimos é uma forma de nos conhecermos melhor. Perceber que todos vivemos as mesmas experiências de forma diferente é uma forma de aprender a respeitar os outros.

  • Viajar desenvolve-lhes a resiliência:

Viajar é desafiante, tira a família da zona de conforto. E isto é muito bom. Ficarem sossegados no carro ou no avião, esperar na fila para entrar no parque ou aguardar mesa para almoçar parece uma tragédia com crianças. Mas não é. Saltar uma sesta ou almoçar mais tarde do que estão habituados também não os prejudica. Torna-os mais flexíveis. Afinal, a rotina mantém-se no regresso a casa. O seu espirito é curioso e elas aprendem a ser pacientes e adaptáveis porque gostam de vivências novas. Ao mesmo tempo, confiam muito nos seus pais que, sabiamente, mantém-se calmos perante um imprevisto ou um atraso. Como a palavra de ordem numa viagem é a novidade os níveis de ansiedade devem muito baixos. Afinal, não há horários para o que é novo.

  • Viajar torna a aprendizagem muito mais simples e deliciosa:

“Diz-me e eu vou esquecer. Ensina-me e eu talvez me lembre. Envolve-me e eu vou aprender.” Benjamin Franklin

É muito mais fácil aprender quando nos sentimos envolvidos, quando experimentamos por nós próprios. Quanto mais envolvidas as crianças estiverem, mais excitante é uma experiência e mais fácil é aprender. Mesmo para as crianças mais pequenas, uma viagem pode não criar ainda memórias mas proporciona experiências e sensações importantes para o seu desenvolvimento. Ensina-lhes muitas coisas que ficam guardadas para a vida.

  • Viajar permite-lhe reconhecer, aceitar e respeitar a diversidade que há no mundo:

As pessoas, a comida, os hábitos, a cultura, o vestuário…Tanta diversidade no mundo que o torna mais rico e fascinante. Quanto mais cedo as crianças experimentarem estas diferenças melhor. Para elas tudo é interessante. Cabe a nós pais, permitir que a sua mente se mantenha naturalmente receptiva à novidade e à diferença.

  • Viajar com crianças permite que os pais nunca deixem de viajar:

É comum ouvirmos pais dizer que gostavam de viajar mas pararam quando os filhos nasceram. Não tem de ser assim. Perdem-se anos à espera do momento certo para passear em família. Eles crescem muito depressa e vai haver sempre um pretexto para não sair de casa. O ideal será planear viagens interessantes mesmo com filhos pequenos para que se crie o gosto de passear com os pais desde sempre.

  • Um fim de semana fora de casa é muito melhor que um fim de semana passado em frente ao computador ou à televisão:

Não há nada de errado com o computador ou a televisão. É uma boa forma de se relaxar no tempo livre. O problema é quando se passa demasiado tempo em frente a ecrãs. Mas há opções que ajudam a manter um equilíbrio saudável. Sair de casa e conhecer novos lugares é uma delas.

  • Viajar com crianças não fica assim tão caro:

Se optar viajar de comboio por Portugal, saiba que crianças até aos 3 anos não pagam, e até aos 12 anos só pagam 50% de um bilhete normal. Nos aviões, existe a possibilidade de as crianças pequenas viajaram ao colo dos pais e pagarem apenas uma parte da tarifa. As condições variam consoante a companhia aérea mas, normalmente, prevêem esta possibilidade. Em muitos hotéis, as crianças podem ficar no quarto dos pais sem custos adicionais. Por todo o lado há restaurantes com ementas infantis assim como parques de diversão, museus ou monumentos com bilhetes mais baratos ou mesmos entradas gratuitas para as crianças.

Por isso, aqui fica uma sugestão: que tal começarem pela região onde viviam os avós. Aquela zona que já não vão há alguns anos porque a família deixou de lá viver. Tem, de certeza, muitos lugares diferentes e bonitos para visitar e explorar, entre praias, campo e cidades históricas. Descubram juntos locais que não conhecem ou nunca exploraram, como Alcobaça, Nazaré ou Óbidos. Então é uma viagem. Desfrutem e vivam intensamente esses dias em família.

Boas viagens!!

Descubram dicas imprescindíveis para tornar uma visita cultural mais interessante para as crianças!

Receba a newsletter Dias Bons!

Deixe o seu email:

I will never give away, trade or sell your email address. You can unsubscribe at any time.

6 comments

  1. Eu não pensava desta maneira e enquanto n tivemos filhos não viajamos quando nasceu a primeira fizemos umas férias a 3. Quando a pequena nasceu já fomos a 4 e realmente é muito bom tudo aquilo que podemos deixar a elas as experiências, as novas terras, as comidas diferentes das nossas habituais e a cultura. A partir daí vamos sempre os 4. Fomos pela primeira vez em Novembro de 2018 os 2 e é ao estranho estarmos sem elas mas também faz bem ao casal. A próxima viagem de avião vái ser a Paasagem de ano 2019/2020 a Ponta Delgada onde já tivemos pela primeira vez os 4 vamos repetir para deixar tudo visto para as próximas ilhas… Vai ser um ano novo para o resto das suas memórias. E 20 anos de namoro dos pais. 😍

  2. Obrigada pelo comentário, Ana! Ainda bem que descobriram o quanto é bom viajar em família. Ponta Delgada é um destino maravilhoso! Já lá estivemos numa Passagem de Ano e as crianças adoraram! E nunca deixem de comemorar os anos de namoro!!❤️

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.